domingo, 5 de abril de 2009

Nada como um dia atras do outro e um churrasco no meio

Oi pessoal,
voltei. rs Agora sou eu e nao aquele ser depressivo que se apoderou de mim no ultimo mes. Acho que a tristezinha era falta de farinha. Nao sei nem descrever a sensacao de colocar a primeiro colher de farofa na boca depois de um ano de abstinencia.

Ando bem adolescente esses dias. Sexta, briguei com o marido e achei que o mundo ia se acabar. Quase pulei de um pe de alface. Sabado, recebi pessoas queridas (como isso ajuda a recarregar as baterias) e fiz o nosso primeiro churrasco em terras suicas, com direito a farofa, maionese, vinagrete, picanha e guarana. E hoje, hoje o dia esta lindo, o sol esta brilhando, as flores estao brotando e eu estou, exageradamente, feliz.

Espero que essa alegria dure. Minha instabilidade emocional ja esta ate perdendo a graca. rs So pode ser a crise dos trinta. Um pouquinho atrasada, diga-se de passagem. Mas ate que faz algum sentido. A tal crise nada mais e que se perguntar se alcancou o que queria, se conseguiu atingir os objetivos que vc tracou. Quando fiz trinta eu estava: casada com o amor da minha vida, com uma filha linda, um bom emprego, amigos queridos. Eu estava onde eu imaginava estar.

Dois anos depois.... Eu ainda estou casada com o amor da minha vida e tenho a filha mais maravilhosa do planeta mas, profissionalmente, estou no buraco. Dai vem os questionamentos que nao tinham acontecido aos trinta. Escolhi a carreira certa? Vou conseguir um emprego que me realize? Sou mesmo competente?

Enfim, crise. Agora acho que consegui organizar novamente as coisas na minha pobre cabecinha e voltar ao meu tracado. Antes de vir eu tinha me dado um prazo de um ano e meio para voltar ao mercado de trabalho. Esse prazo ainda nao terminou.

Abraco grande,
Carol

ps.: Hoje fomos ao lago. Tinha um grupo peruano com aqueles instrumentos de sopro maravilhosos. Minha filha pediu para parar e assistir. Ali, abracada com o meu marido, de mao dada com a minha filha, o lago, o sol... Me deu uma coisa. Chorei de felicidade. Foi um daqueles momentos que a gente congela na memoria. Daqueles que fazem tudo valer a pena.

7 comentários:

Criska disse...

Carol, eu achei que seu blog estivesse extinto! Que bom que ainda está aqui e ele já está nos meus preferidos!
Bom tbm é saber que por trás daquela moça racional e objetiva tem uma mulher coração de manteiga...rs
Vc está fazendo falta aqui! Mas, tudo tem seu tempo. Sua hora na Suíça vai chegar. Então, não perca tempo e arrase no inglês e no Alemão!
Beijo grande (na bochecha tbm...rs)!!!

Ninha, Doane e Christal disse...

Carol

Como é bom ler que vc esta bem de novo. Desejo que todos os dias sejam assim. Não se cobre tanto, o mais difícil que é estar ai vc esta tirando de letra.

Um grande abraço
Ninha

Claudia disse...

Eu acredito que esses momentos da gente triste acontecem pra que quando a gente esteja bem feliz, a gente saiba dar valor ao nosso sorriso e ao nosso choro de felicidade.

Vai dar tudo certo :)

Abraços,

Claudia

Fernando e Silvia disse...

Viu só como viver um dia de cada vez é melhor que sofrer!!! Nada é perfeito, já sofri muito pelo meu lado profissional que até hoje está mal resolvido, aí olho o tantão de coisas maravilhosas acontecendo ao meu lado, e vejo que nem tudo precisa ser norta 10.
Beijos,
Silvia

Sergio e Marilena disse...

Faço minhas as palavras da Silvia. Já faz 5 anos que estou fora do mercado e as vezes me sinto meio inutil, mas quando penso em todos os momentos maravilhosos que tenho tido com os meus filhos eu chego à conclusão de que tem valido a pena.
Ainda estou naquela fase de alegria na chegada ao sonho, no meu caso, o Canadá. Tudo pra mim tem um colorido especial e tenho visto felicidade em cada coisinha que acontece. E as oportunidades estão aparecendo a cada dia, assim, já estou começando a pensar no que eu poderia fazer pra entrar novamente no mercado de trabalho e sem ficar muito longe das crianças. mas tudo sem pressa nem atropelos, um dia de cada vez.
Que bom que vc está melhor, espero que a primavera e o verão consigam te deixar bem animada.

bj

Soraya Cruz Wallau disse...

Passei aqui e te levei pro meu blog. hahaha.
Adorei o seu blog, lindo! Me visite uma hora dessas.
Bjos,
Soraya

Flávia J. F. Solís disse...

Nada como esses dias ensolarados e cheio de flores para dar um novo ânimo, não é? Todo mundo um dia ou outro tem vontade de se atirar de um pé de alface, hahahaha! Coisa mais normal do mundo.
Antes de ser mãe eu só pensava em "profissional", hoje em dia quero voltar a trabalhar, pq é importante pra mim, mas não tenho a mesma agonia de antes.
Ahhh, ser mãe nem é tão complicado quanto me falavam, viu! E está cada dia mais divertido sim! hehehe
Beijos!