terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Leila e seus amores

Oi gente,
longe de mim incentivar o namoro precoce, muito pelo contrário. Digo e repito que criança só tem amigo, mas tá difícil não comparar as amizades da Leila a primeiros amores. rs Assim mesmo, no plural.

Na escolinha, que eu conheço, tem um polonês lindo de morrer que só volta para casa depois que a Leila desce (ele é um dos primeiros a ficar pronto e ela é sempre a última). Tudo isso para andar 3o m ao lado dela. Os dois se admirando, com aqueles olhinhos sorridentes, no mais completo silêncio. rs Tem ainda o inglês, que brigou com ela hoje porque ela contou um "segredo" (soprou o ouvidinho) do tal polonês.

Para completar, hoje recebi o Vitor em casa, um brasileirinho que não fala português, e os dois ficaram no maior carinho. Era abraço, dança, cantar olhando no olho (Ó Tannenbaun, Ò Tannenbaun, wie grün sind deine Bläter). rs Foi me distrair um pouquinho e ouço a Leila me chamando incrêdula. Perguntei o que foi e ela disse "Ele me deu um beijo na boca". Daí eu falei que não podia pq criança não beija na boca. rs Ela falou séria com ela e disse que não era mais para fazer isso senão ela ia ficar muito brava.

Falou isso, mas não parou de apertar o menino. rs Brincado de príncipe e princesa. Bailando pelo salão.