sábado, 7 de fevereiro de 2009

Oi pessoal,
desculpe o sumiço é que tanta água rolou debaixo dessa ponte. Ano passado foi o ano das novidades, acho que esse vai ser o das descobertas que, por incrível que parece, devem ser mais internas que externas.

Em um primeiro momento, a correria do dia-a-dia, a reorganização de rotina, conseguir uma casa, mobiliar o ap, aprender a viver... Tudo isso consumia a gente e não dava tempo para pensar. Foi tudo meio no automático.

Depois de tudo estabelecido (claro que ainda falta muita coisa, mas viver já não é um desafio tão grande), eu pude perceber que eu não sou a mesma Carol, o Ênio não é mais o mesmo e a Leila também não é mais a mesma criança. Como assim? Aonde é que eu estou? Que família é essa? rs
Eu descobri não só que posso confiar mais na minha equipe, como também posso confiar mais em mim. Sou capaz, somos todos capazes. Isso gente, não tem preço. O incrível é que eu tenha precisado sair do Brasil para descobrir que o meu marido pode ser um pai maravilhoso e que a minha filha é uma menina de ouro.

Por que eu tive que vir tão longe? Porque, no Brasil, a gente nunca seria tão testado. No Brasil, eu não teria que encarar criança doente, casa, comida, roupa para lavar (Leila adoeceu bem no dia mensal da lavagem de roupa).

Meu marido nunca teria que acordar às 6 da matina para lavar roupa e voltar do trabalho na hora do almoço para trazer comida pq eu não consegui cozinhar. Ele nunca teria que ficar com a Leila para eu poder descançar.

No Brasil, a minha filha nunca participaria de TODAS as atividades da casa. No Brasil, eu tinha com quem deixá-la quando ia fazer compras e pagar contas, por exemplo. Lá, eu podia ficar brincando com ela e focar toda a minha atenção enquanto outra pessoa limpava a nossa casa e cozinhava pra gente. No Brasil, eu não tinha que pegar 3 ônibus para chegar no hospital infantil com uma criança com febre e ainda fazer a coitada andar um bocado....

Então, é sovando que o pão cresce. rs Minha família cresceu em qualidade e eu só tenho a agradecer cada sovada que levamos.

Um abraço,
Carol


obs.: Seguem fotos que a Leila tirou na câmera dela.



7 comentários:

Fernando e Silvia disse...

Oi Carol, quanto tempo! Nossa pensei que seu processo já tinha chegado ao fim! Diga pra Leila que as fotos ficaram demais! Tudo de bom pra vocês em 2009! Que sua família viva essa união sempre!
Um beijo,
Silvia

Ninha, Doane e Christal disse...

Aaww mo Deusooooo, ja ta brincando com a cam mãe ? EEeiiiita que ela vai ficar profissional ...

E os passaportes amiga, nada ??
Pois é, eu e o Do ja vamos esquematizar logo alguns documentos pra esperar o pedido.
Sem falar que agora vamos come;car mais um curso no Senac talvez , e vai acabar justo no prazo de 4 meses se recebermos a carta agora em fev/Mar.

No mais aqui estamos naqueeeeeeele calor goiano, muito anciosos e matando a anciedade com umas pamoinhas e paozin de queijo..rsrs
Bao d+ da conta.

Um grande bj em vcs, adorei as fotos.

Ninha e Dodo

Gelsa disse...

Aprendemos com tudo que vivemos, e muito bom ver que estão crescendo a cada dia, minha princesa sempre muito bela...um beijo pricesa da vovó, amei as as fotos

.Mariana.Daniel. disse...

Oi Carol,

Que post inspirador! São relatos assim que me enchem mais e mais de coragem para enfrentar essa "aventura" de abandonar um monte de coisas e conquistar tantas outras!

Beijos,
mari

Rogério disse...

Aíííí!!! Quando apredizado para família!

Grande abraço!

Rogério Lima

Anônimo disse...

Eu sempre pensei que a Suiça fosse um lugar seguríssimo...Mas, estou chocada com o que vi nos jornais hoje!! Uma violencia pior do que a daqui!! Uma brasileira gravida de gemeos foi atacada por um bando de skinheads e abortou as filhas depois de muita violencia!! E a gente achava que a violencia era prerrogativa aqui do Brasil...Pelo jeito, as coisas estão pretas aí tambem...Voce sabe se os brasileiros que vivem no "paraiso" Suiça já se mobilizaram a favor da pobre coitada?? Estou chocadésima!!

Anônimo disse...

http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u502560.shtml