sexta-feira, 9 de maio de 2008

Analfabetismo

Oi pessoal,

Como já disse para vocês, o Ênio já veio para a Suíça empregado e com ajuda de custo para os primeiros meses. Não enfrentamos, portanto, nenhuma privação econômica. Quer dizer… nenhuma grande privação. Rs Como a carne é cara, estamos ficando mais sofisticados e a substituindo por aspargos, cogumelos, queijos, batatas rösti. Tudo muito caro no Brasil e barato aqui. Hoje, por exemplo, almocei um delicioso orichette ao sugo com cogumelos na manteiga. Comi feliz, mas ficaria ainda mais contente se fosse uma bela picanha com farofa.

Voltando ao tema do post, a nossa maior dificuldade aqui tem sido o idioma. O tal do alemão é f… Já passei o vexame de ficar parada em frente a uma porta, olhando para um aviso sem saber o que fazer. Depois de 10 minutos, chegou outra pessoa, que falava ingles, e perguntou “Você veio para a visitação? Já apertou a campanhia?”. Hein? Era só isso. Estava escrito para apertar a campanhia. Rs E você pegando um frio danado sem saber o que fazer por 10 minutos. Como você se sentiria? Eu me senti uma completa idiota. E essa sensação tem se repetido com muita freqüência.

Até o zelador do prédio me trata como se eu tivesse alguma deficiência mental. Veio aqui no apartamento me explicar que eu não deveria usar a bancada para cortar legumes, frutas e carnes. Era para eu comprar um tábua… Igual aquela que eu já tinha. Eu vim do Brasil, mas lá também tem tábua de cortar carne. Rs E ainda me mandou levar a Leila em um médico porque ela chora muito. Detalhe, ela só chora quando olha para a cara dele. Que é mesmo de dar medo.

Hoje, fui a um curso de integração em lingua portuguesa. Claro que quando cheguei, ninguém sabia onde era a sala da minha turma. Depois de passar por 4 pessoas, um guardinha foi até fora do prédio, ficou apontando e falando em alemão, como se eu fosse obrigada a entender. Ora, se eu entendesse não estaria fazendo o curso de integração EM LÍNGUA PORTUGUESA. Depois de um tempão, ele olhando para mim como se eu estivesse com alguma doença, o animal resolver me falar, em muito bom inglês. “Yellow building, second door”. Ok. Era só isso. A segunda porta. E porque não falar isso em inglês. Algum tipo de orgulho tolo que eles têm aqui. Claro que nesse ponto (depois de pegar três conduções e andar um quilômetro, eu já estava quase chorando. Cheguei na sala e a instrutura falou que foi muita sorte eu ter encontrado a sala. Eu diria mais, foi um milagre. Rs

Em duas semanas eu começo o meu curso de alemão, um pequeno passo para voltar à ativa. Ao mundo dos que sabem ler, escrever e se comunicar.

Abraços,

Carol

4 comentários:

Sandro e Família disse...

Carol

Senti isso na pele quando estive aí e não consegui pedir um lanche no Mac Donalds pois a atendente só falava alemão, e mesmo eu apontando o que queria foi difícil...me senti um analfabeto como você citou.

Boa sorte com as aulas de alemão e cuidado com a cara feia do zelador...rss!!

Abraço.

Fernando Faian e Silvia disse...

Carol, tenha paciência que você logo aprenderá a se virar sozinha, tenho certeza. Um abraço.
Silvia

Anônimo disse...

Carol para te ajudar ande sempre com um dicionário português x alemão.
Boa Sorte, Solange

GELSA disse...

OIEEEEEEE..SO SEI QUE QUANDO CHEGAR AI PRA UMA VISITA VC JA VAI ESTAR PORRETA NO ALEMÃO E ME LEVAR PRA VARIOS PASSEIOS...RSRS..SEM TER Q FICAR 10 MINUTOS TENTANDO SABER O Q ESTAVA ESCRITO..BOA SORTE NA SUAS AULAS VIU. BEIJÃO PRA VCS TRES..AMO MUITO VOCES